Desculpa porque eu te amo














Olhando o céu infinito 
vejo a imensidão da escuridão que abriga seres luminosos
tão misteriosos quanto a saudade que sinto de você
a imensidão desse céu infinito 
mostra como somos tão irracionais
seres complicados 
que não sabem o sentido dos sentimentos mais intrigantes

Qual o sentido do amor? 
Trazer no peito sentimentos que nos embriagam de paixão
olhando a imensidão desse céu 
olho o universo e tento buscar no infinito
todas as respostas que você não pode dar
respostas que me mostrariam 
a exatidão da distância que nos separa
e me levaria a compreender 
o quão real é o silêncio que grita dentro da minha cabeça

Estrelas desse céu escuro o que veem de onde estão?
quão insano é o que busco 
me deem as respostas que tento encontrar
nesse infinito vejo o tamanho da sua ausência 
arrancando a calma do meu coração

Desculpa porque eu te amo
Desculpa essa saudade infinita

Somos tão pequenos debaixo desse céu infinito
poeiras de desejos 
encobertos de amor vagando na imensidão

Desculpa porque eu te amo
Desculpa o meu coração

Observando o céu 
eu sei que foi real 
a dor é real
Eu te amo, e isso, não é alucinação!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será liberado após aprovação da autora.
Obrigado(a) por visitar a Coluna Quando a noite cai